MARCAS DO CULTO POPULAR DA RAINHA SANTA ISABEL NO ROMANCEIRO DA TRADIÇÃO ORAL PORTUGUESA

Lina Santos Mendonça

Resumen


Ao longo do tempo, o romance «A Rainha Santa Isabel» da tradição portuguesa conservou várias marcas do culto popular que se desenvolveu em torno desta figura da hagiografia. Trata-se de um romance raro, com um número reduzido de versões, e pouco difundido, cuja sobrevivência até ao século XXI foi garantida pela sua adaptação a outro género textual, a oração.

Palabras clave


Romance, Versões, Tradição, Oração

Texto completo:

PDF

Referencias


ADLOT: Arquivo Digital de Literatura Oral Tradicional. Recuperado de

Andrade, M. F. (2014). Rainha Santa, mãe exemplar. Isabel de Aragão. Maia: Círculo de Leitores.

APL: Arquivo Português das Lendas [Base de dados]. Recuperado de

Azevedo, Á. R. (1880). Romanceiro de Arquipélago da Madeira. Funchal: «Voz do Povo».

Boto, S. (2010). Os primeiros romances religiosos portugueses dende a Tradição Oral Moderna: uma colecção desconhecida. En Santiago Prado Conde (dir./coord.), Actas da Conferencia Internacional da Tradición Oral. Oralidade e Património Cultural, Ourense, 11, 12 e 13 de Novembro de 2010 (pp. 239-146). 2. s.l.: Concello de Ourense.

Braga, T. (s.d.). Romanceiro Geral Português. 2. Lisboa: Vega.

Braga, T. (1994). O Povo Português nos seus Costumes, Crenças e Tradições. 2. Lisboa: Publicações Dom Quixote.

Catalán, D. et al. (1982). Catálogo General del Romancero Pan-Hispánico. 2. Madrid: Seminario Menéndez Pidal / Gredos.

Catalán, D. et al. (1984). Teoría General y metodología del Romancero Pan-Hispánico. Catálogo General del Romancero Pan-Hispánico. 1.A.. Madrid: Seminario Menéndez Pidal.

Catalán, D. (1997). Arte Poética del romancero oral. Parte 1ª. Los textos abiertos de creación colectiva. Madrid: Siglo Veintiuno de España Editores.

Costa Fontes, M. (1997). O Romanceiro Português e Brasileiro: Índice temático e bibliográfico. 2 vols.. Madison: The Hispanic Seminary of Medieval Studies.

Cidraes, M. L. (1999-2001). O Mito da Rainha Santa – Uma Tradição Popular e Religiosa. Revista Lusitana (Nova Série), 19-21, 31-80.

Cidraes, M. L. (2019). Os Painéis da Rainha da Rainha Santa do Convento do Bom Jesus de Monforte. Um singular programa iconográfico. Em M. L. Cidraes (Coord.), Imagens da Rainha Santa Isabel na Arte Portuguesa: Os Painéis de Azulejo da Igreja do Antigo Convento do Bom Jesus de Monforte (55-91). Lisboa: CLEPUL – FLUL.

Consiglieri-Pedroso, Z. (1881). Contribuições para um romanceiro e cancioneiro popular portuguez. Romania, tomo 10, n°37-38, 100-116.

Custódio, I. F. e Galhoz, M. A. F. (1997). Memória Tradicional de Vale Judeu. 2. Loulé: Edição da Câmara Municipal de Loulé.

Custódio, I. F., Galhoz, M. A. F. e Cardigos, I. (2006). Romances. Património Oral do Concelho de Loulé. 2. Loulé: Edição da Câmara Municipal de Loulé.

Dias Marques, J. J. (2002). A Génese do ‘Romanceiro do Algarve’ de Estácio da Veiga (Tese de Doutoramento não publicada). Universidade do Algarve, Portugal.

Ferré, P. (1998). “O Rei e a Virgem Romeira”: Uma Balada Europeia Ao Divino?. Cultura, 91-98.

Ferré, P. (1999). O Romanceiro da Tradição Oral Moderna e as Orações, Relendo “El Romancero Espiritual en la Tradición Oral” de Diego Catalán, Actas do Colóquio Internacional Piedade Popular. Sociabilidades – Representações. Espiritualidades, Centro de História da Cultura / História das Ideias, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Lisboa, 20/23 de novembro de 1998 (pp. 474-485). Lisboa: Terramar.

Fraile Gil, J. M. (2001). Conjuros y Plegarias de tradicion oral. Madrid: Compañia Literaria.

Galhoz, M. A. (1988). Romanceiro Popular Português. 2. Lisboa: Centro de Estudos Geográficos – Instituto Nacional de Investigação Científica.

Lang, H. R. (1889). Tradições Populares Alentejanas. Zeitschrift für Romaniche Philologie, 217-224, 416-430.

Leite de Vasconcelos, J. (1979). Cancioneiro Popular Português. 2. Coimbra: Por Ordem da Universidade.

Leite de Vasconcelos, J. (1983). Cancioneiro Popular Português. 3. Coimbra: Por Ordem da Universidade.

Lopes, A. (2004). Devoção e Poder nas Festas do Espírito Santo. Alpiarça: Edição Cosmos.

Mendonça, L. S. (2018). Da Voz Lírica do Alentejo (Contributo para o Estudo da Literatura Oral e Tradicional de Reguengos de Monsaraz) (Tese de Doutoramento não publicada). Universidade de Lisboa, Portugal.

Nascimento, A. A. (2019). Santa Isabel de Portugal. a menina de Aragão coroada Rainha em Terras Portuguesas. Lisboa: Edições Colibri.

Nascimento, B. (2004). Estudos sobre o Romanceiro Tradicional. Paraíba: Editora Universitária João Pessoa.

Pero-Sanz, J. M. (2014). Santa Isabel. Rainha de Portugal. Lisboa: Alêtheia Editores.

Pinto-Correia, J. D. (1986). O essencial sobre o Romanceiro Tradicional. Lisboa: IN-CM.

Pinto-Correia, J. D. (2003). Romanceiro da Tradição Oral Portuguesa. Lisboa: Edições Duarte Reis.

Pires, A. T. (1986). Lendas e Romances. Lisboa: Editorial Presença.

Pires de Lima, A. e Carneiro, A. L. (1984). Romanceiro Popular Português. Os tesouros da poesia que o povo fez e dizia. Porto: Editorial Domingos Barreira.

Ramôa, J. (2010). Isabel de Aragão, rainha e santa de Portugal: o seu jacente medieval como imagem excelsa de santidade. Cultura. Revista de História e Teoria das ideias, vol. 27, 63-81.

s. a. (1988). História Popular da Rainha Santa Isabel. Protetora de Portugal, s. l.: Gráfica de Coimbra.

Vasconcelos, A. (1984). Evolução do culto de Dona Isabel de Aragão, esposa do rei lavrador, Dom Dinis de Portugal. A Rainha Santa. Coimbra: Impressão da Universidade.

Vieira, J. S. (1898). Lenda da Rainha Santa. Revista do Minho. Para o Estudo das Tradições Populares, XIV, nº 9, 71-72.


Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2021 Lina Santos Mendonça

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.

www.cerotec.net