Uma memória portuguesa de "Media noche era por filo"

Ana Sirgado

Resumen


Uma versão minhota de “Conde Claros vestido de frade” dá-nos um testemunho único da preservação moderna do verso “que los yerros por amores / dignos son de perdonar”. O presente estudo procura compreender a excecionalidade deste caso por meio da análise das atualizações poéticas de “Conde Claros preso” na tradição portuguesa. Examina ainda os efeitos da migração intertextual daquela fórmula para o tema recetor, com o objetivo final de contribuir para um conhecimento mais abrangente da transmissão de “Media noche era por filo”.

Palabras clave


romanceiro

Texto completo:

PDF

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2021 Ana Sirgado

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.

www.cerotec.net